Universo da Notícia

Amop inicia processo de sucessão; nome mais cotado à presidência é do prefeito de Jesuítas

Assembleia para escolha do novo presidente ainda não tem data definida e deve ocorrer dia 28 ou 29.

FOTO: Divulgação
teste

Os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop) se reuniram, na última sexta-feira (08), para a primeira assembleia geral ordinária de 2019. O encontro aconteceu na sede da entidade, em Cascavel, e contou com uma extensa pauta.

Dentre um dos principais assuntos esteve a sucessão da Amop, que deve ocorrer em assembleia no próximo dia 28 ou 29, conforme data ainda a ser agendada. Na ocasião, o prefeito de Maripá, Anderson Bento Maria, se despede do cargo. Na mesma oportunidade já acontece a posse da nova diretoria, sendo que o nome mais cotado para ser conduzido à presidência é do prefeito de Jesuítas, Junior Weiller. Na sexta-feira houve a nomeação da comissão que ficará responsável em acompanhar os trabalhos da eleição interna.

Além disso, outro assunto tratado foi sobre a Itaipu Binacional, que em especial no último um ano e meio se tornou uma grande parceira dos 54 municípios oestinos. Recentemente, houve a posse do novo diretor-geral brasileiro, o general Joaquim Silva e Luna, a qual foi prestigiada pelo presidente da Amop e o presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, prefeito Leomar Rohden (Mano), de Pato Bragado. “Não conseguimos conversar com ninguém durante a solenidade, pois foi uma cerimônia rápida. Eu e o Mano estamos tentando uma agenda com o novo diretor-geral para explicarmos as ações, as parcerias e o que está acontecendo em cada município. Queremos sentir dele e sensibilizá-lo da importância dessa parceria com a Itaipu, que acontece há muitos anos e que no último um ano e meio de forma mais expressiva nos 54 municípios do Oeste do Paraná”, detalha o dirigente da associação oestina, em entrevista ao O Presente.

Na avaliação de Bento Maria, a expectativa é que ao menos os convênios já firmados sejam mantidos. “Mas não sabemos se haverá novos convênios. Percebemos na fala do próprio diretor-geral que um dos focos da Itaipu será a produção de energia, mas existem as atuações na área social, ambiental, educacional e de infraestrutura, que são importantes”, complementa.

 Desenvolvimento urbano

O diretor do escritório regional do Paranacidade, Fernando Dillenburg, abordou, na oportunidade, sobre ações que a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedu) planeja desenvolver nos municípios do Oeste e Sudoeste ao longo dos próximos anos. Ele ressaltou a importância de manter a base de dados sempre atualizada do Portal dos Municípios, que é a base técnica de onde se extraem as informações que abastecem a execução dos programas e, por consequência, a liberação de recursos.

 Projeto Rondon

Na pauta da primeira assembleia de 2019 da entidade também foi feita explanação sobre o Projeto Rondon, que será realizado em 20 municípios do Oeste a partir de uma parceria do Ministério da Defesa, Aeronáutica, Marinha e Amop. “Recebemos há alguns dias a visita de um coronel que representa o Projeto Rondon junto ao Ministério da Defesa. No dia 19 (próxima terça-feira) vamos assinar o termo de cooperação com 20 municípios. Foi feita uma análise e escolhidas 20 das 54 cidades do Oeste. O Projeto Rondon já aconteceu em várias regiões do país. O Ministério da Defesa vai lançar o edital de chamamento público em que professores e estudantes, principalmente ligados a universidades públicas e privadas, vão cadastrar vários projetos. O Ministério vai analisar os projetos e aqueles que forem aprovados irão acontecer provavelmente no início do ano que vem nestes 20 municípios. Em torno de 20 pessoas vão atuar nas cidades selecionadas durante duas semanas”, expõe.

 Prefeito Empreendedor

Ainda na próxima terça-feira, 12 prefeitos serão contemplados com troféu e premiação do Prêmio Prefeito Empreendedor, do Sebrae. A iniciativa visa reconhecer a capacidade administrativa dos gestores públicos que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento de pequenos negócios e à modernização da gestão pública. 

Energia elétrica

Outro assunto discutido no encontro dos prefeitos foi sobre as constantes quedas de energia elétrica. Essa pauta já havia sido debatida durante reunião dos gestores com presidentes de cooperativas no Show Rural Coopavel, realizado em fevereiro em Cascavel. “Os gestores acharam conveniente fazermos um documento oficial nosso, da Amop, e encaminhar para o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, para pedir explicações”, discorreu.

Segundo os prefeitos, há relatos de perdas com plantéis de animais (aves e suínos), estoques de perecíveis, plantas industriais e dificuldades técnicas das mais diversas, que envolvem desde uma simples oscilação de energia até blackouts que podem durar horas seguidas.

E no calor, em que a temperatura alta exige equipamentos frigoríficos e de resfriamento ligados permanentemente, sob o risco de comprometer centenas de operações, o drama é ainda maior. A redução de estruturas e de funcionários da Copel nas cidades de menor porte também motiva a reclamação, segundo a Amop.

 Avaliação da gestão

Na reta final como presidente da Amop, o prefeito de Maripá faz uma avaliação positiva de sua gestão à frente da entidade que reúne 54 municípios. “Avalio a experiência de forma muito positiva. Eu aprendi muito neste um ano. Procurei representar nossa entidade à altura do que ela merece, participei quase de todos os eventos e tive uma participação importante dentro do Programa Oeste do Desenvolvimento (POD). Ali foi um aprendizado enorme e até uma forma de fortalecer ainda mais nossa entidade. Desenvolvi um trabalho bastante técnico na Amop e implantei algumas coisas que também fazemos em Maripá. Tive o privilégio de conseguir reformar o auditório principal e deixar nossa marca. Procuramos dar uma valorização ainda maior nos nossos eventos festivos e esportivos, até mesmo na questão da premiação. Temos tido uma participação importante na discussão da implantação do Aeroporto Regional. Enfim, acredito que foi possível fazer um grande trabalho. Não é fácil a gente se dividir, porque até brincamos que a Amop é como se fosse uma segunda prefeitura. Somos cobrados nos nossos municípios e se dividir entre o município e a Amop é uma responsabilidade muito grande. Tentei manter a entidade unida e tenho uma boa amizade com todos os prefeitos”, conclui.

Fonte

O Presente
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Amop inicia processo de sucessão; nome mais cotado à presidência é do prefeito de Jesuítas

O Presente

Os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop) se reuniram, na última sexta-feira (08), para a primeira assembleia geral ordinária de 2019. O encontro aconteceu na sede da entidade, em Cascavel, e contou com uma extensa pauta.

Dentre um dos principais assuntos esteve a sucessão da Amop, que deve ocorrer em assembleia no próximo dia 28 ou 29, conforme data ainda a ser agendada. Na ocasião, o prefeito de Maripá, Anderson Bento Maria, se despede do cargo. Na mesma oportunidade já acontece a posse da nova diretoria, sendo que o nome mais cotado para ser conduzido à presidência é do prefeito de Jesuítas, Junior Weiller. Na sexta-feira houve a nomeação da comissão que ficará responsável em acompanhar os trabalhos da eleição interna.

Além disso, outro assunto tratado foi sobre a Itaipu Binacional, que em especial no último um ano e meio se tornou uma grande parceira dos 54 municípios oestinos. Recentemente, houve a posse do novo diretor-geral brasileiro, o general Joaquim Silva e Luna, a qual foi prestigiada pelo presidente da Amop e o presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, prefeito Leomar Rohden (Mano), de Pato Bragado. “Não conseguimos conversar com ninguém durante a solenidade, pois foi uma cerimônia rápida. Eu e o Mano estamos tentando uma agenda com o novo diretor-geral para explicarmos as ações, as parcerias e o que está acontecendo em cada município. Queremos sentir dele e sensibilizá-lo da importância dessa parceria com a Itaipu, que acontece há muitos anos e que no último um ano e meio de forma mais expressiva nos 54 municípios do Oeste do Paraná”, detalha o dirigente da associação oestina, em entrevista ao O Presente.

Na avaliação de Bento Maria, a expectativa é que ao menos os convênios já firmados sejam mantidos. “Mas não sabemos se haverá novos convênios. Percebemos na fala do próprio diretor-geral que um dos focos da Itaipu será a produção de energia, mas existem as atuações na área social, ambiental, educacional e de infraestrutura, que são importantes”, complementa.

 Desenvolvimento urbano

O diretor do escritório regional do Paranacidade, Fernando Dillenburg, abordou, na oportunidade, sobre ações que a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedu) planeja desenvolver nos municípios do Oeste e Sudoeste ao longo dos próximos anos. Ele ressaltou a importância de manter a base de dados sempre atualizada do Portal dos Municípios, que é a base técnica de onde se extraem as informações que abastecem a execução dos programas e, por consequência, a liberação de recursos.

 Projeto Rondon

Na pauta da primeira assembleia de 2019 da entidade também foi feita explanação sobre o Projeto Rondon, que será realizado em 20 municípios do Oeste a partir de uma parceria do Ministério da Defesa, Aeronáutica, Marinha e Amop. “Recebemos há alguns dias a visita de um coronel que representa o Projeto Rondon junto ao Ministério da Defesa. No dia 19 (próxima terça-feira) vamos assinar o termo de cooperação com 20 municípios. Foi feita uma análise e escolhidas 20 das 54 cidades do Oeste. O Projeto Rondon já aconteceu em várias regiões do país. O Ministério da Defesa vai lançar o edital de chamamento público em que professores e estudantes, principalmente ligados a universidades públicas e privadas, vão cadastrar vários projetos. O Ministério vai analisar os projetos e aqueles que forem aprovados irão acontecer provavelmente no início do ano que vem nestes 20 municípios. Em torno de 20 pessoas vão atuar nas cidades selecionadas durante duas semanas”, expõe.

 Prefeito Empreendedor

Ainda na próxima terça-feira, 12 prefeitos serão contemplados com troféu e premiação do Prêmio Prefeito Empreendedor, do Sebrae. A iniciativa visa reconhecer a capacidade administrativa dos gestores públicos que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimento de pequenos negócios e à modernização da gestão pública. 

Energia elétrica

Outro assunto discutido no encontro dos prefeitos foi sobre as constantes quedas de energia elétrica. Essa pauta já havia sido debatida durante reunião dos gestores com presidentes de cooperativas no Show Rural Coopavel, realizado em fevereiro em Cascavel. “Os gestores acharam conveniente fazermos um documento oficial nosso, da Amop, e encaminhar para o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, para pedir explicações”, discorreu.

Segundo os prefeitos, há relatos de perdas com plantéis de animais (aves e suínos), estoques de perecíveis, plantas industriais e dificuldades técnicas das mais diversas, que envolvem desde uma simples oscilação de energia até blackouts que podem durar horas seguidas.

E no calor, em que a temperatura alta exige equipamentos frigoríficos e de resfriamento ligados permanentemente, sob o risco de comprometer centenas de operações, o drama é ainda maior. A redução de estruturas e de funcionários da Copel nas cidades de menor porte também motiva a reclamação, segundo a Amop.

 Avaliação da gestão

Na reta final como presidente da Amop, o prefeito de Maripá faz uma avaliação positiva de sua gestão à frente da entidade que reúne 54 municípios. “Avalio a experiência de forma muito positiva. Eu aprendi muito neste um ano. Procurei representar nossa entidade à altura do que ela merece, participei quase de todos os eventos e tive uma participação importante dentro do Programa Oeste do Desenvolvimento (POD). Ali foi um aprendizado enorme e até uma forma de fortalecer ainda mais nossa entidade. Desenvolvi um trabalho bastante técnico na Amop e implantei algumas coisas que também fazemos em Maripá. Tive o privilégio de conseguir reformar o auditório principal e deixar nossa marca. Procuramos dar uma valorização ainda maior nos nossos eventos festivos e esportivos, até mesmo na questão da premiação. Temos tido uma participação importante na discussão da implantação do Aeroporto Regional. Enfim, acredito que foi possível fazer um grande trabalho. Não é fácil a gente se dividir, porque até brincamos que a Amop é como se fosse uma segunda prefeitura. Somos cobrados nos nossos municípios e se dividir entre o município e a Amop é uma responsabilidade muito grande. Tentei manter a entidade unida e tenho uma boa amizade com todos os prefeitos”, conclui.

Parceiros

Publicidade