Universo da Notícia

Candidata a vereadora troca voto por sexo com mais de 250 pessoas e termina presa

Na delegacia, a mulher negou que tenha tido relação com essas pessoas em troca de votos.

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
teste

Erro na Linha: #425 :: Undefined variable: publicidadePost
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Erro na Linha: #425 :: Trying to access array offset on value of type null
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Erro na Linha: #426 :: Undefined variable: publicidadePost
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Erro na Linha: #426 :: Trying to access array offset on value of type null
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Uma candidata a vereadora da cidade de Presidente Dutra, no Maranhão, foi presa acusada de trocar votos de eleitores por sexo.

A polícia civil já vinha investigando a candidata há um mês após algumas denuncias de pessoas que disseram ter sido assediadas por ela.

De acordo com testemunhas, além de cometer o ato ilícito de obtenção de votos por meio de favores sexuais, a mulher ainda gravava as suas relações com os eleitores para que servissem como garantia de que os envolvidos realmente fossem votar nela.

A polícia estima, após conferir os vídeos salvos na galeria do celular da mulher, que possam ser mais de 250 pessoas envolvidas nesse “negócio”, incluindo homens e mulheres.

Na delegacia, a mulher negou que tenha tido relação com essas pessoas em troca de votos ou qualquer outro tipo de troca.

teste 3

Fonte

Fonte: cm7
  • COMPARTILHE

Candidata a vereadora troca voto por sexo com mais de 250 pessoas e termina presa

05/11/2020 12:49


Uma candidata a vereadora da cidade de Presidente Dutra, no Maranhão, foi presa acusada de trocar votos de eleitores por sexo.

A polícia civil já vinha investigando a candidata há um mês após algumas denuncias de pessoas que disseram ter sido assediadas por ela.

De acordo com testemunhas, além de cometer o ato ilícito de obtenção de votos por meio de favores sexuais, a mulher ainda gravava as suas relações com os eleitores para que servissem como garantia de que os envolvidos realmente fossem votar nela.

A polícia estima, após conferir os vídeos salvos na galeria do celular da mulher, que possam ser mais de 250 pessoas envolvidas nesse “negócio”, incluindo homens e mulheres.

Na delegacia, a mulher negou que tenha tido relação com essas pessoas em troca de votos ou qualquer outro tipo de troca.

Fonte: Fonte: cm7

Publicidade