Universo da Notícia

Clubes de Santa Helena se manifestam contra atos caluniosos no centro da cidade

Dirigentes esclareceram o assunto e lamentaram a atitude cauniosa.

FOTO: Alex Moreno

Quem passou pelo centro da cidade de Santa Helena na manhã desta quarta-feira (15), se deparou com faixas que foram fixadas por pessoas supostamente revoltadas com ações ou falta delas por parte da administração municipal. Algumas delas cobravam do prefeito os auxílios emergenciais em apoio a população em condições de vulnerabilidade e também ao comércio local. Sobre essa faixa entramos em contato com a administração municipal que informou estar procedendo os trâmites necessários e, conforme determina a Justiça, dar a maior condição possível de transparência na concessão dos benefícios aos cidadãos. Ambos já foram aprovados pela Câmara de Vereadores e um já virou Lei. Nesta quarta, o prefeito Evandro Grade nomeou os componentes do comitê que acompanhará e fiscalizará essas ações. (VEJA AQUI)

Na ocasião também foram citados nas faixas dos manifestantes, os Clubes Sócio- culturais Incas e União. Entramos em contato com ambas as entidades, as quais se manifestaram prontamente e desmentiram as informações divulgadas durante o protesto e que foram irresponsavelmente compartilhadas em redes sociais, como fakes.

Uma inverdade divulgada por exemplo, é que os clubes recebem além do valor total, que constam nos contratos, um montante a mais que seria repassado mensalmente. Isso não é verdade.

Segundo a Tesoureira do Clube União, Iara Bottega de Moura, o contrato que foi firmado no início do ano, está sendo cumprido a risca. Em conversa com nossa reportagem, Iara lembrou que o União é composto por pessoas que participam ativamente da comunidade em outras entidades e diretorias e que, jamais comungariam com qualquer ato ilícito.

Iara afirmou ainda que o clube só recebe nos meses em que a sua estrutura é utilizada, o que não vem ocorrendo durante a pandemia quando os decretos municipais e estaduais impedem o desempenho das referidas atividades.

Quem também se pronunciou sobre as calúnias que atacaram clubes tradicionais da cidade foi a presidente do Clube Incas, Fernanda Esteves. Segundo ela, o assunto já havia sido questionado por meio de perfis em redes sociais de forma equivocada e que a diretoria se colocou a disposição para esclarecer quaisquer dúvidas, porém, conforme a presidente, até o momento, nenhuma dessas pessoas procurou o clube para saber a verdade.

Fernanda lamenta a situação, principalmente por se tratar de afirmações inverídicas que atacam clubes cujos sócios são pessoas ativas na sociedade, atos estes que apenas atrapalham o andamento das atividades previstas nos contratos.

Sobre os demais assuntos que constam nas faixas, onde também encontramos informações distorcidas, estamos buscando junto aos citados informações para podermos produzir matéria com dados precisos e verdadeiros. 

Ouça a entrevista com as dirigentes dos clubes;

teste 3

Fonte

Da Redação
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Clubes de Santa Helena se manifestam contra atos caluniosos no centro da cidade

Da Redação

Quem passou pelo centro da cidade de Santa Helena na manhã desta quarta-feira (15), se deparou com faixas que foram fixadas por pessoas supostamente revoltadas com ações ou falta delas por parte da administração municipal. Algumas delas cobravam do prefeito os auxílios emergenciais em apoio a população em condições de vulnerabilidade e também ao comércio local. Sobre essa faixa entramos em contato com a administração municipal que informou estar procedendo os trâmites necessários e, conforme determina a Justiça, dar a maior condição possível de transparência na concessão dos benefícios aos cidadãos. Ambos já foram aprovados pela Câmara de Vereadores e um já virou Lei. Nesta quarta, o prefeito Evandro Grade nomeou os componentes do comitê que acompanhará e fiscalizará essas ações. (VEJA AQUI)

Na ocasião também foram citados nas faixas dos manifestantes, os Clubes Sócio- culturais Incas e União. Entramos em contato com ambas as entidades, as quais se manifestaram prontamente e desmentiram as informações divulgadas durante o protesto e que foram irresponsavelmente compartilhadas em redes sociais, como fakes.

Uma inverdade divulgada por exemplo, é que os clubes recebem além do valor total, que constam nos contratos, um montante a mais que seria repassado mensalmente. Isso não é verdade.

Segundo a Tesoureira do Clube União, Iara Bottega de Moura, o contrato que foi firmado no início do ano, está sendo cumprido a risca. Em conversa com nossa reportagem, Iara lembrou que o União é composto por pessoas que participam ativamente da comunidade em outras entidades e diretorias e que, jamais comungariam com qualquer ato ilícito.

Iara afirmou ainda que o clube só recebe nos meses em que a sua estrutura é utilizada, o que não vem ocorrendo durante a pandemia quando os decretos municipais e estaduais impedem o desempenho das referidas atividades.

Quem também se pronunciou sobre as calúnias que atacaram clubes tradicionais da cidade foi a presidente do Clube Incas, Fernanda Esteves. Segundo ela, o assunto já havia sido questionado por meio de perfis em redes sociais de forma equivocada e que a diretoria se colocou a disposição para esclarecer quaisquer dúvidas, porém, conforme a presidente, até o momento, nenhuma dessas pessoas procurou o clube para saber a verdade.

Fernanda lamenta a situação, principalmente por se tratar de afirmações inverídicas que atacam clubes cujos sócios são pessoas ativas na sociedade, atos estes que apenas atrapalham o andamento das atividades previstas nos contratos.

Sobre os demais assuntos que constam nas faixas, onde também encontramos informações distorcidas, estamos buscando junto aos citados informações para podermos produzir matéria com dados precisos e verdadeiros. 

Ouça a entrevista com as dirigentes dos clubes;

Parceiros

Publicidade