Universo da Notícia

Comerciantes de Santa Helena veem moedas desaparecerem ainda mais durante a pandemia

Conforme o bancário Gertur Gerhardt, a maneira correta para guardar o dinheiro é aplicar em uma conta poupança.

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
teste

Erro na Linha: #425 :: Undefined variable: publicidadePost
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Erro na Linha: #425 :: Trying to access array offset on value of type null
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Erro na Linha: #426 :: Undefined variable: publicidadePost
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

Erro na Linha: #426 :: Trying to access array offset on value of type null
/home/universodanotici/public_html/themes/news_2018/noticia.php

É comum ver diariamente nas redes sociais empresários ‘correndo’ atrás de moedas para o troco do dia-a-dia, ainda mais neste momento da pandemia do coronavírus, onde mexeu com o comércio de forma geral.

Com o isolamento social, as moedas desapareceram do mercado. A falta de moedas em circulação é registrada a muito tempo. Trata-se da tradição errada de guardar a moeda no cofrinho.

Conforme o bancário Gertur Gerhardt, a maneira correta para guardar o dinheiro é aplicar em uma conta poupança onde o valor depositado renderá juros ao poupador. Já as moedas, se trocadas no comércio (supermercados, bares, farmácias e outros), faz com que gire a economia da cidade.

Segundo o bancário, 20, 30 reais ou mais em casa, poderia suprir um ou dois dias o troco no comércio. 

 
teste 3

Fonte

Rádio Costa Oeste
  • COMPARTILHE

Comerciantes de Santa Helena veem moedas desaparecerem ainda mais durante a pandemia

17/11/2020 23:15


É comum ver diariamente nas redes sociais empresários ‘correndo’ atrás de moedas para o troco do dia-a-dia, ainda mais neste momento da pandemia do coronavírus, onde mexeu com o comércio de forma geral.

Com o isolamento social, as moedas desapareceram do mercado. A falta de moedas em circulação é registrada a muito tempo. Trata-se da tradição errada de guardar a moeda no cofrinho.

Conforme o bancário Gertur Gerhardt, a maneira correta para guardar o dinheiro é aplicar em uma conta poupança onde o valor depositado renderá juros ao poupador. Já as moedas, se trocadas no comércio (supermercados, bares, farmácias e outros), faz com que gire a economia da cidade.

Segundo o bancário, 20, 30 reais ou mais em casa, poderia suprir um ou dois dias o troco no comércio. 

 
Fonte: Rádio Costa Oeste

Publicidade