Universo da Notícia

Notícias Saúde

Como respirar pela boca prejudica a saúde bucal

A boca entreaberta e o fluxo contínuo de ar na região altera a mucosa oral e promove o ressecamento.

Como respirar pela boca prejudica a saúde bucal
Ilustrativa
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Ainda que seja bastante comum, o hábito de respirar pela boca prejudica a saúde bucal e pode impactar no bem-estar de todo o organismo, na postura da coluna e até nos níveis de oxigenação cerebral.

Contudo, como esse costume tem diversas origens – sendo mais comum a restrição das vias nasais ou as alergias e resfriados –, se o problema não for corrigido e o paciente adquirir essa mania por anos a fio, é possível que isso cause problemas estruturais na face e nas arcadas dentárias.

As repercussões desse hábito, aparentemente inofensivo, também afetam o dia a dia dos pacientes, alterando a capacidade de concentração, aumentando a irritabilidade e interferindo na dicção.

Por isso, é preciso estar atento aos fatores que estejam causando o problema e aos sintomas, procurando o acompanhamento médico e realizando o tratamento apropriado para a melhora da saúde e da qualidade de vida.

O que leva uma pessoa a respirar pela boca?

Além de servir para eliminar o excesso de gás carbônico do nosso organismo, a respiração nasal ajuda a fornecer energia para que os órgãos exerçam suas funções corretamente, hidrata as vias respiratórias e aquece o ar antes que ele chegue ao pulmão.

No entanto, inúmeras razões podem fazer com que as pessoas comecem a respirar pela boca, como:

  • Aumento das amígdalas;
  • Desvio do septo nasal;
  • Surgimento de pólipos nasais;
  • Alterações na formação óssea;
  • Desenvolvimento de tumores no trato nasal.

Mas a síndrome da respiração bucal (SRB), também pode ser gerada nas primeiras semanas de vida, em decorrência da falta da amamentação com leite materno ou, ainda, por causa do desmame precoce.

Isso porque a força necessária para realizar a sucção do peito desenvolve a motricidade-oral necessária para as funções fonéticas, mastigatórias, dentárias e respiratórias.

Assim, a falta do desenvolvimento motor-oral se torna o causador de diversos outros problemas bucais.

Quais são os impactos desse costume para as estruturas bucais?

As estruturas bucais são, provavelmente, as que mais sofrem com a SRB, sendo necessário o uso do aparelho ortodôntico e até mesmo a intervenção de outras pessoas para auxiliar com o controle e a reeducação do costume.

Isso porque, quando a pessoa respira pela boca há uma mudança postural na língua – que passa a ficar baixa, junto dos dentes inferiores – e a cabeça passa a ser projetada para frente para melhorar o fluxo de ar na cavidade oral, uma vez que o cérebro recebe menos oxigênio.

Assim, os problemas mais comumente causados e causadores são:

  1. Mordida cruzada

Também conhecida como mordida invertida, a mordida cruzada acontece quando uma alteração na articulação dos maxilares faz com que o encaixe dos dentes fique “torto”, formando a má-oclusão.

Deste modo, quando a arcada de cima fecha por dentro da arcada inferior (mordida cruzada anterior) isso pode acontecer em decorrência do desenvolvimento exagerado do queixo ou, ainda, por causa da retração óssea do maxilar superior.

  1. Mordida aberta

A mordida aberta é outro tipo de má-oclusão que precisa ser reparado por meio do uso do aparelho dentario

Ele é composto pela falta de contato entre os dentes superiores e inferiores, impedindo a mastigação adequada dos alimentos.

Essa condição pode ser presente apenas dos dentes frontais ou apenas nos dentes posteriores (dentes de trás), no entanto, eles impactam negativamente na estética, na fonética e na respiração dos pacientes.

Além disso, esse tipo de condição não pode ser corrigida apenas com procedimentos cosméticos instantâneos, como a lente de contato dental – apesar de ser um procedimento vantajoso para diferentes quadros. 

Por isso, é necessário que o paciente realize todo o tratamento ortodôntico.

  1. Apinhamento dentário

O apinhamento dentário acontece em decorrência da falta do espaçamento adequado nas arcadas dentárias. Isso faz com que os dentes permanentes nasçam em posição inadequada, torcidos ou com espaçamentos severos.

Os pacientes que sofrem com essa condição têm maiores dificuldades com a higienização bucal, podem sofrer com a má-oclusão e possuem tendência ao desenvolvimento de placas bacterianas e a formação de tártaro.

Eles também são privados de realizar alguns tipos de tratamentos cosméticos odontológicos, bem como podem ter problemas com a aplicação do implante dentário.

  1. Problemas com a saúde gengival

A boca entreaberta e o fluxo contínuo de ar na região altera a mucosa oral e promove o ressecamento de todos os tecidos bucais.

Isso faz com que a boca esteja mais suscetível às ações bacterianas e a produção de ácidos que inflamam as gengivas e causam as cáries.

Essa condição de inflamação recorrente dos tecidos gengivais, além de impedir a realização de procedimentos como o clareamento dental, também podem levar ao agravamento do quadro dando início a periodontia – que por sua vez ameaçam a saúde de todo o organismo.

 

FONTE/CRÉDITOS: Qualivida Online
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!