Universo da Notícia - Sua fonte de notícias na cidade de Santa Helena

Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Notícias Policial

Irmãos acusados de assassinato são absolvidos pelo Tribunal do Júri de Santa Helena

Ezequiel e Paulo César são apontados como autores de outro homicídio.

Irmãos acusados de assassinato são absolvidos pelo Tribunal do Júri de Santa Helena
CRÉDITOS: Jonas Paulo
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O tribunal do júri da comarca de Santa Helena absolveu na tarde desta terça-feira (09)  , os irmãos Ezequiel Maeberg, de 31 anos, e Paulo César Maeberg, de 30 anos, acusados do assassinato de Sidney de Souza, de 38 anos ocorrido em dezembro de 2022.

O crime

Sidney de Souza foi assassinado na noite de 15 de dezembro de 2022, na Praça Central de Santa Helena enquanto lanchava com familiares. Ele foi atingido por dois tiros na cabeça. A Polícia Militar, a Polícia Civil e socorristas do Samu chegaram rapidamente ao local, mas Sidney não resistiu aos ferimentos. Testemunhas afirmaram ter reconhecido o atirador, que fugiu imediatamente após o crime.

Leia Também:

A acusação

Ezequiel e Paulo César Maeberg foram presos em 14 de fevereiro de 2023, após uma operação policial no Bairro Bela Vista. A investigação apontava que Ezequiel teria verificado a presença da vítima na praça, enquanto Paulo César efetuou os disparos. A acusação, representada pelo promotor de justiça Luís Marcelo Mafra, também sugeria que o crime foi motivado por vingança, em retaliação pela morte de Leomar Maeberg, primo dos acusados, ocorrida em março de 2022.

Além disso, segundo a polícia, os irmãos Maeberg são suspeitos de outro homicídio, ocorrido no Bairro Vila Rica em 05 de fevereiro de 2023, onde Roberto de Souza, de 41 anos, foi assassinado. As duas vítimas, Sidney e Roberto, eram irmãos, assim como os acusados, Ezequiel e Paulo César.

O julgamento

Durante o julgamento, a defesa dos irmãos Maeberg, representada pelos advogados Vitor Spazzini e Eder Spazzini, argumentou que não havia provas suficientes para condena- los. Ressaltaram inconsistências nos depoimentos das testemunhas e a falta de evidências concretas que ligassem os irmãos diretamente ao crime. Ezequiel e Paulo César, que haviam optado por permanecer em silêncio durante as investigações, mantiveram a negativa de autoria em seus depoimentos ao júri.

A decisão

Após ouvidas as testemunhas e horas de debate entre defesa e acusação, o corpo de jurados decidiu pela absolvição dos réus. A decisão foi recebida com alívio por familiares e amigos dos acusados, que sempre acreditaram na inocência dos irmãos.

A sessão foi presidida pelo Juiz substituto Eric Bortoletto Fontes.

FONTE/CRÉDITOS: Da Redação com informações de CNWT
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!