Universo da Notícia

No Paraguai, idosa de 82 anos é acusada de criar cães para vender a carne

Polícia Nacional recebeu a denúncia de vizinhos e encontrou no local evidências do crime.

Via Rádio Cultura
Uma idosa de 82 anos foi denunciado pelo Ministério Público do Paraguai, suspeita de criar cachorros para vender a carne, na cidade de Caacupé, à 50 quilômetros da capital Assunção.

Os agentes da Polícia Nacional receberam a denúncia de vizinhos e encontraram no local evidências do crime, como crânios e outros ossos de animais, restos de carne, facas, ganchos, munições e uma escopeta calibre 14 de fabricação caseira.

A promotora Noelia Montanía contou que aparentemente os animais eram criados e abatidos no local, para depois a carne ser comercializada.

Na casa estava foi encontrada a idosa sozinha, embora as autoridades não descartem a participação de outras pessoas, sendo que dois celulares estavam no local.

Um veterinários que acompanhou a operação informou que os cachorros eram colocados de cabeça para baixo para escorrer o sangue, técnica utilizada no abate de animais para o consumo humano.

A idosa foi denunciada por maus-tratos e crueldade animal e Violação de Lei de Armas. A Promotoria pediu a prisão domiciliar da mulher, obrigação de se apresentar à Justiça uma vez ao mês e fiança em forma de prestação de serviço comunitário até chegar ao valor de 10 milhões de guaranis. Ela também está proibida de possuir qualquer tipo de animal, doméstico ou silvestre.
 
teste 3

Fonte

Rádio Cultura Foz
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

No Paraguai, idosa de 82 anos é acusada de criar cães para vender a carne

Rádio Cultura Foz
Uma idosa de 82 anos foi denunciado pelo Ministério Público do Paraguai, suspeita de criar cachorros para vender a carne, na cidade de Caacupé, à 50 quilômetros da capital Assunção.

Os agentes da Polícia Nacional receberam a denúncia de vizinhos e encontraram no local evidências do crime, como crânios e outros ossos de animais, restos de carne, facas, ganchos, munições e uma escopeta calibre 14 de fabricação caseira.

A promotora Noelia Montanía contou que aparentemente os animais eram criados e abatidos no local, para depois a carne ser comercializada.

Na casa estava foi encontrada a idosa sozinha, embora as autoridades não descartem a participação de outras pessoas, sendo que dois celulares estavam no local.

Um veterinários que acompanhou a operação informou que os cachorros eram colocados de cabeça para baixo para escorrer o sangue, técnica utilizada no abate de animais para o consumo humano.

A idosa foi denunciada por maus-tratos e crueldade animal e Violação de Lei de Armas. A Promotoria pediu a prisão domiciliar da mulher, obrigação de se apresentar à Justiça uma vez ao mês e fiança em forma de prestação de serviço comunitário até chegar ao valor de 10 milhões de guaranis. Ela também está proibida de possuir qualquer tipo de animal, doméstico ou silvestre.
 

Parceiros

Publicidade