Universo da Notícia

Projeto prevê unificar Emater e outros três órgãos do Governo do Paraná.

A mudança deve gerar economia de R$ 16 milhões ao ano.

G1
teste

Um novo projeto do Governo do Paraná para dar continuidade à reforma administrativa prevê a unificação de quatro órgãos estaduais do setor agrícola em uma autarquia. A mudança deve gerar economia de R$ 16 milhões ao ano.

Conforme o projeto, será criado o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, ainda sem sigla definida, formado por:

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater);

Instituto Agronômico do Paraná (Iapar);

Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar);

Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA).

O governo diz que a sede administrativa vai ficar em Curitiba e a de pesquisa em Londrina, no norte do Paraná. Juntos, os órgãos têm 531 prédios ou serviços espalhados por todas as regiões do estado.

Nas cidades que têm duas ou mais desses órgãos, o governo vai estudar qual prédio será usado como sede. Os prédios próprios que forem desocupados serão vendidos ou reaproveitados por outras secretarias.

A frota somada desses órgãos tem 1.438 veículos e um estudo vai definir quantos e quais serão mantidos. A maioria dos contratos de serviços terceirizados, como de limpeza, vigilância e telefonia, deve ser unificada.

O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento Norberto Ortigara garante que a fusão das empresas não vai prejudicar as pesquisas e a assistência aos pequenos agricultores.

Programa de Demissão Voluntária

A criação do novo instituto deve mudar também o quadro de pessoal. Os quatro órgãos envolvidos na reforma têm 13 diretorias com 416 funcionários em cargos de comissão. A ideia do governo é reduzir pela metade.

O Governo do Paraná também quer enxugar o quadro de funcionários do setor de agricultura por meio de um Programa de Demissão Voluntária (PDV).

O programa vai valer apenas para os celetistas da Emater e Codapar - aqueles empregados que não têm estabilidade. São 1.354 funcionários nas duas empresas e a expectativa é a de que 240 entrem no PDV.

"Nós vamos apresentar um programa para que aqueles, de forma voluntária, queira participar tenham essa condição de poder se aposentar com tranquilidade. E o estado, naturalmente, o mais enxuto e podendo gastar menos, vai entregar qualidade na área de pesquisa, na área de assistência e na agricultura como um todo", afirmou o chefe da Casa Civil Guto Silva.

O que dizem os citados

O sindicato que representa os funcionários da Secretaria de Agricultura e Abastecimento disse que concorda com o programa de demissão voluntária desde que a contratação de novos servidores, no lugar dos que saíram, seja feita por concurso público.

Fonte

G1
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Projeto prevê unificar Emater e outros três órgãos do Governo do Paraná.

G1

Um novo projeto do Governo do Paraná para dar continuidade à reforma administrativa prevê a unificação de quatro órgãos estaduais do setor agrícola em uma autarquia. A mudança deve gerar economia de R$ 16 milhões ao ano.

Conforme o projeto, será criado o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, ainda sem sigla definida, formado por:

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater);

Instituto Agronômico do Paraná (Iapar);

Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar);

Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA).

O governo diz que a sede administrativa vai ficar em Curitiba e a de pesquisa em Londrina, no norte do Paraná. Juntos, os órgãos têm 531 prédios ou serviços espalhados por todas as regiões do estado.

Nas cidades que têm duas ou mais desses órgãos, o governo vai estudar qual prédio será usado como sede. Os prédios próprios que forem desocupados serão vendidos ou reaproveitados por outras secretarias.

A frota somada desses órgãos tem 1.438 veículos e um estudo vai definir quantos e quais serão mantidos. A maioria dos contratos de serviços terceirizados, como de limpeza, vigilância e telefonia, deve ser unificada.

O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento Norberto Ortigara garante que a fusão das empresas não vai prejudicar as pesquisas e a assistência aos pequenos agricultores.

Programa de Demissão Voluntária

A criação do novo instituto deve mudar também o quadro de pessoal. Os quatro órgãos envolvidos na reforma têm 13 diretorias com 416 funcionários em cargos de comissão. A ideia do governo é reduzir pela metade.

O Governo do Paraná também quer enxugar o quadro de funcionários do setor de agricultura por meio de um Programa de Demissão Voluntária (PDV).

O programa vai valer apenas para os celetistas da Emater e Codapar - aqueles empregados que não têm estabilidade. São 1.354 funcionários nas duas empresas e a expectativa é a de que 240 entrem no PDV.

"Nós vamos apresentar um programa para que aqueles, de forma voluntária, queira participar tenham essa condição de poder se aposentar com tranquilidade. E o estado, naturalmente, o mais enxuto e podendo gastar menos, vai entregar qualidade na área de pesquisa, na área de assistência e na agricultura como um todo", afirmou o chefe da Casa Civil Guto Silva.

O que dizem os citados

O sindicato que representa os funcionários da Secretaria de Agricultura e Abastecimento disse que concorda com o programa de demissão voluntária desde que a contratação de novos servidores, no lugar dos que saíram, seja feita por concurso público.

Parceiros

Publicidade