Universo da Notícia

Santa Helena deve criar lei com auxílio para atender famílias carentes durante a pandemia

A ideia inicial é de que o benefício seja repassado por pelo menos 3 meses, com possibilidade de prorrogação.

A prefeitura de Santa Helena deve enviar nos próximos dias para a apreciação da Câmara de Vereadores, um Projeto de Lei que possibilite o Município repassar a trabalhadores informais uma espécie de auxílio enquanto durar a pandemia causada pelo novo coronavirus.

A informação foi confirmada por fontes da prefeitura durante a tarde desta sexta-feira (22), logo após o tema passar pela aprovação do Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde do COVID-19.

Ainda não foi confirmado o valor deste repasse que poderá chegar a R$ 500.

O prefeito Evandro Grade tem discutido com sua equipe jurídica detalhes como valor e também quantas parcelas o beneficiário poderá receber.

A ideia inicial é de que o benefício seja repassado por pelo menos 3 meses, com possibilidade de prorrogação.

Outro ponto que estaria definido é que os beneficiários seriam os mesmos atendidos pelo plano emergencial do governo federal.

Segundo levantamento feito junto aos estabelecimentos de crédito que repassam esses valores, o número de aptos em Santa Helena gira entorno das quatro mil pessoas. A estimativa é de que entre os meses de julho e agosto pelo menos R$ 7 milhões sejam repassados a população mais carente, e que seriam injetados na economia local.

Existe ainda por parte da administração municipal a intenção de também criar uma espécie de auxílio emergencial também para a classe empresarial que atenda as exigências legais e que incentive a manutenção dos trabalhadores na empresa.

teste 3

Fonte

Da Redação
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Santa Helena deve criar lei com auxílio para atender famílias carentes durante a pandemia

Da Redação

A prefeitura de Santa Helena deve enviar nos próximos dias para a apreciação da Câmara de Vereadores, um Projeto de Lei que possibilite o Município repassar a trabalhadores informais uma espécie de auxílio enquanto durar a pandemia causada pelo novo coronavirus.

A informação foi confirmada por fontes da prefeitura durante a tarde desta sexta-feira (22), logo após o tema passar pela aprovação do Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde do COVID-19.

Ainda não foi confirmado o valor deste repasse que poderá chegar a R$ 500.

O prefeito Evandro Grade tem discutido com sua equipe jurídica detalhes como valor e também quantas parcelas o beneficiário poderá receber.

A ideia inicial é de que o benefício seja repassado por pelo menos 3 meses, com possibilidade de prorrogação.

Outro ponto que estaria definido é que os beneficiários seriam os mesmos atendidos pelo plano emergencial do governo federal.

Segundo levantamento feito junto aos estabelecimentos de crédito que repassam esses valores, o número de aptos em Santa Helena gira entorno das quatro mil pessoas. A estimativa é de que entre os meses de julho e agosto pelo menos R$ 7 milhões sejam repassados a população mais carente, e que seriam injetados na economia local.

Existe ainda por parte da administração municipal a intenção de também criar uma espécie de auxílio emergencial também para a classe empresarial que atenda as exigências legais e que incentive a manutenção dos trabalhadores na empresa.

Parceiros

Publicidade