UNIVERSO DA NOTÍCIA!

Surto de raiva animal preocupa produtores e autoridades sanitárias da região

Agricultores que tiveram contato com animais contaminados passaram por um tratamento preventivo.

Um surto de raiva animal está preocupando os agricultores de Serranópolis do Iguaçu. A doença é transmitida por morcegos hematófagos, que se alimentam de sangue e pode chegar aos seres humanos.

Em pelo menos três propriedades rurais já houve registro de animais com raiva e estes precisaram ser sacrificados. De acordo com representantes a melhor forma de prevenção a doença é a vacinação que custa R$ 0,50 a dose. 

Agricultores que tiveram contato com animais contaminados passaram por um tratamento preventivo. 

A ADAPAR (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) comunicou no dia 27 de julho o Município de Serranópolis do Iguaçu quanto a obrigatoriedade de vacinação contra raiva de bovinos, equinos, ovinos e caprinos com idade igual ou superior a 3 (três) meses.

Tal decisão foi tomada diante de diagnóstico positivo de raiva em bovinos na região beira parque em Serranópolis do Iguaçu. O produtor deverá adquirir a vacina em lojas agropecuárias.

O prazo para a vacinação vai até 16 de agosto. Após esta vacinação, a ADAPAR ressalta que é preciso fazer o reforço em 30 dias.

A comprovação da vacina é obrigatória, portanto, o produtor deve entregar comprovante na Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, junto a Prefeitura Municipal.

Em caso de suspeita de ataque de morcegos em animais da propriedade (sinais de mordedura de morcegos, alteração de comportamento dos animais, alteração na produção ou morte), ou em caso de possíveis sinais (apatia, isolamento, perda de apetite, incoordenação motora, dificuldade de engolir, ranger de dentes, espasmos musculares, tremores, morte súbita), entre em contato imediatamente com a ADAPAR de Medianeira, através do telefone: (45) 3264-4730.

Caso observe local de abrigo de morcegos não mecha e nem o destrua, apenas marque o local e entre em contato com a ADAPAR ou com a Secretaria de Agricultura do Município.

Fonte

Tarobá News
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Surto de raiva animal preocupa produtores e autoridades sanitárias da região

Tarobá News

Um surto de raiva animal está preocupando os agricultores de Serranópolis do Iguaçu. A doença é transmitida por morcegos hematófagos, que se alimentam de sangue e pode chegar aos seres humanos.

Em pelo menos três propriedades rurais já houve registro de animais com raiva e estes precisaram ser sacrificados. De acordo com representantes a melhor forma de prevenção a doença é a vacinação que custa R$ 0,50 a dose. 

Agricultores que tiveram contato com animais contaminados passaram por um tratamento preventivo. 

A ADAPAR (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) comunicou no dia 27 de julho o Município de Serranópolis do Iguaçu quanto a obrigatoriedade de vacinação contra raiva de bovinos, equinos, ovinos e caprinos com idade igual ou superior a 3 (três) meses.

Tal decisão foi tomada diante de diagnóstico positivo de raiva em bovinos na região beira parque em Serranópolis do Iguaçu. O produtor deverá adquirir a vacina em lojas agropecuárias.

O prazo para a vacinação vai até 16 de agosto. Após esta vacinação, a ADAPAR ressalta que é preciso fazer o reforço em 30 dias.

A comprovação da vacina é obrigatória, portanto, o produtor deve entregar comprovante na Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, junto a Prefeitura Municipal.

Em caso de suspeita de ataque de morcegos em animais da propriedade (sinais de mordedura de morcegos, alteração de comportamento dos animais, alteração na produção ou morte), ou em caso de possíveis sinais (apatia, isolamento, perda de apetite, incoordenação motora, dificuldade de engolir, ranger de dentes, espasmos musculares, tremores, morte súbita), entre em contato imediatamente com a ADAPAR de Medianeira, através do telefone: (45) 3264-4730.

Caso observe local de abrigo de morcegos não mecha e nem o destrua, apenas marque o local e entre em contato com a ADAPAR ou com a Secretaria de Agricultura do Município.

Publicidade