Universo da Notícia - Sua fonte de notícias na cidade de Santa Helena

Quinta-feira, 23 de Maio de 2024

Notícias Política

Lar diz que não comentará condenação judicial de meio milhão de reais por assédio eleitoral

A decisão é da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região.

Lar diz que não comentará condenação judicial de meio milhão de reais por assédio eleitoral
Foto: Lar Cooperativa/Wikimedia Commons
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Lar Cooperativa Agroindustrial, com sede em Medianeira, no oeste do Paraná, e com filiais e entrepostos espalhados em boa parte do país e até no exterior, foi condenada a pagar R$ 500 mil por assédio eleitoral contra os empregados durante as eleições presidenciais de 2022.

A decisão da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (TRT-PR) foi divulgada nesta terça-feira (24). Cabe recurso da decisão.

Ao determinar o pagamento da indenização por danos morais coletivos, o colegiado considerou que a empresa feriu a livre convicção de voto dos empregados e prestadores de serviço e violou princípios garantidores do Estado Democrático de Direito. Os desembargadores consideraram que a atitude atingiu toda a sociedade.

Publicidade

Leia Também:

Conforme a denúncia, diretor presidente da Lar Cooperativa Agroindustrial, Irineu da Costa Rodrigues, utilizava os meios de comunicação internos, como a rádio da empresa, para direcionar os votos dos trabalhadores.

Nas comunicações, o diretor exaltava o candidato defendido por ele e depreciava o opositor. Conforme a denúncia, os materiais afirmavam que o outro candidato traria o "caos" e que a cooperativa estaria ameaçada, assim como o emprego dos trabalhadores.

Os atos foram denunciados ao Ministério Público do Trabalho (MPT), que ajuizou uma ação civil pública, pleiteando danos morais coletivos.

SILÊNCIO

O Universo da Notícia procurou a Lar para comentar o assunto, porém, segundo a assessoria de imprensa da cooperativa, "por se tratar de um processo ainda sub judice, por ora não será feita nenhuma manifestação, mas sim, oportunamente, após a sua conclusão" - informou.

FONTE/CRÉDITOS: Da Redação, com informações do G1PR
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!